Meus Amigos

sábado, 27 de agosto de 2011

CAMPANHA: SUICÍDIO NÃO





CAMPANHA: SUICÍDIO NÃO!






Reunimos aqui, sob nosso ponto de vista, os melhores artigos e reportagens sobre o assunto, com o claro objetivo de esclarecer e informar ao público em geral, as causas e circunstância, que levam à tamanha atrocidade; sem generalizar e querer ser donos da verdade, buscar um entendimento sobre o que pensam, como agem e planejam o ato, as pessoas com intenção suicida, por outro lado, queremos levar a esses, um pouco de esperança, tentando mostrar-lhes que a vida continua do outro lado e da mesma forma que aqui, do lado de lá, assumimos todas as responsabilidades e consequências




"Por quê morrer, se a vida continua?"




Para ler, clique sobre o assunto.


Suicídio I
Suicídio II
Suicídio III
Suicídio IV
Suicídio: Uma visão Espírita.
Provas e suicídio.
Conversando Sobre o Suicídio.
Suicídio Fruto do Desconhecimento.
Circunstâncias reflexas e suicídio.
Desgosto pela vida - Suicídio.
Quando se Destrói o Próprio Instinto de Conservação.
Suicídio - Causas e Conseqüências.
Grave flagelo.
O Estranho Mundo dos Suicidas.
Por que as crianças se suicidam.
Esportes Radicais X Suicídio
Suicídio e Loucura.
Alguns argumentos contra o Suicídio.
Como identificar um suicída em potêncial.
Prevençao do suicidio.
Suicidar-se, nunca!
Órgão e Centro de Ajuda
Suicidio Não! - FEB (PDF)
Aborto - FEB (PDF)
Eutanásia - FEB (PDF)


Acesse também o site, sobre o mesmo assunto:
"SUICÍDIO, CONHECER PARA PREVENIR!"








http://rs.safernet.org.br/external/report_kit

APRENDENDO COM AS EPÍSTOLAS


APRENDENDO COM AS EPÍSTOLAS


Este trabalho pretende evidenciar, através de alguns versículos, profundamente expressivos e, portanto, dignos de nota e de análise, a sabedoria e os ensinamentos contidos nas Espístolas Evangélicas.
Estudar as Epístolas de Paulo e dos outros Apóstolos é estudar a mensagem de Jesus, anotada, fielmente, pelos quatros evangelistas.

Paulo de Tarso, após o episódio da Estrada de Damasco, tornou-se o grande Apóstolo dos Gentios, contribuindo, de maneira decisiva, para a implantação da Doutrina do Cristo nos países da orla mediterrânea e na própria Roma, que seria, mais tarde, o centro de irradiação do Cristianismo.

Paulo, por seu incansável trabalho missionário, é o grande exemplo para os trabalhadores da Seara do Mestre, cujo ideal consiste em divulgar os ensinamentos do Cristo, com amor e dedicação.

Cada versículo, aqui analisado, comportaria, evidentemente, comentários mais extensos. O nosso objetivo, porém, é destacá-los e apresentar aos amigos dos Textos Evangélicos algumas sucintas considerações, a fim de que possam analisar, com mais profundidade, as palavras edificantes de Paulo e dos primeiros Apóstolos do Cristianismo.

O Espiritismo, como Cristianismo Redivivo, foi concedido pelo Pai Altíssimo, para dinamizar os ensinamentos de Jesus, mostrando que o Evangelho é a Ciência da vida, apresentando diretrizes racionais para estabelecer a harmonia, a paz social na Terra.

O Terceiro Milênio inicia o novo ciclo de "REGENERAÇÃO" em nosso Planeta, e será nesse Milênio a consolidação duma estrutura social realmente cristã, baseada na fraternidade que Jesus veio implantar na Terra.

Podemos ter a certeza de que a Lei do Progresso impulsiona o Espírito do Homem para a conquista de um mundo de paz e amor, com o qual todos nós sonhamos, e cuja construção está subordinada ao trabalho incessante de todos os homens, especialmente daqueles que seguem o Evangelho de Jesus Cristo.


Autor:Luiz R. da Cruz
Fonte: Comunidade Espirita





Reunimos aqui, sob nosso ponto de vista, os melhores artigos e reportagens sobre o assunto, com o claro objetivo de esclarecer e informar ao público em geral, as causas e circunstância, que levam à tamanha atrocidade; sem generalizar e querer ser donos da verdade, buscar um entendimento sobre o que pensam, como agem e planejam o ato, as pessoas com intenção suicida, por outro lado, queremos levar a esses, um pouco de esperança, tentando mostrar-lhes que a vida continua do outro lado e da mesma forma que aqui, do lado de lá, assumimos todas as responsabilidades e consequências


"Por quê morrer, se a vida continua?"


Para ler, clique sobre o assunto.

Suicídio I
Suicídio II
Suicídio III
Suicídio IV
Suicídio: Uma visão Espírita.
Provas e suicídio.
Conversando Sobre o Suicídio.
Suicídio Fruto do Desconhecimento.
Circunstâncias reflexas e suicídio.
Desgosto pela vida - Suicídio.
Quando se Destrói o Próprio Instinto de Conservação.
Suicídio - Causas e Conseqüências.
Grave flagelo.
O Estranho Mundo dos Suicidas.
Por que as crianças se suicidam.
Esportes Radicais X Suicídio
Suicídio e Loucura.
Alguns argumentos contra o Suicídio.
Como identificar um suicída em potêncial.
Prevençao do suicidio.
Suicidar-se, nunca!
Órgão e Centro de Ajuda
Suicidio Não! - FEB (PDF)
Aborto - FEB (PDF)
Eutanásia - FEB (PDF)

Acesse também o site, sobre o mesmo assunto:
"SUICÍDIO, CONHECER PARA PREVENIR!"





http://rs.safernet.org.br/external/report_kit

.: Dragões e Magos Negros (parte I)





.: Dragões e Magos Negros (parte I .II,III,E IV):





Dragões e magos negros, ditadores do abismo 

e senhores da escuridão, ultimamente estão 

sendo feitos amplos estudos sobre esses 

espíritos. 



Os primeiros relatos surgiram com a obra de 

Ranieri (amigo pessoal do Chico Xavier) 

conhecida como “O Abismo”, depois tivemos 



algumas outras obras, das quais eu acredito serem muito importantes os livro “Erg, O 


Décimo Planeta” do Roger Feraudy (que aponta o auge dos eventos catastróficos na Terra 

para bem próximo de 2036), além da trilogia do Robson Pinheiro “Legião”, “Senhores da 

Escuridão” e “A Marca da Besta”.





Mostrando também um panorama dessas entidades, dois livros do Roger Paranhos “Atlântida no Reino da Luz” e “Atlântida no Reino das Trevas”. Obras de 

suma importância para conhecer esses seres. 

Vamos então começar analisando quem são Dragões, 

magos negros bem como o exílio planetário de 

Capela, o exílio após a destruição de Erg, bem como 

o atual momento que estamos passando onde 

ocorrerá mais um exílio planetário.















Onde tudo começou-Divulgação da Doutrina Espirita

Galeria De Orleáns, Palais Royal Por Cristina Helena Sarraf Imagens selecionadas:
<http://www.historiaespiritismo.blogspot.com/ >

 Como foi o lançamento de O Livro dos Espíritos?
 Quem recebeu o primeiro exemplar?
Qual a reação de Kardec depois da obra ter sido publicada?
Textos de Canudo Abreu respondem a essas questões e descrevem os acontecimentos de 18 de abril de 1857.
 Já se passaram 150 anos desde o histórico 18 de abril de 1857.
 Para celebrar essa data, destacamos um livro pouco conhecido, mas de grande valor:

O Livro dos Espíritos e sua Tradição Histórica e Lendária, de Canuto Abreu, editado pelo Lar da Família Universal, em 1992.



É uma obra valiosa e inesquecível, sobre a qual tenho feito inúmeros trabalhos e textos, pois descreve como foi o dia do lançamento de O Livro dos Espíritos. Canuto Abreu apresentou o conteúdo dessa obra no discurso oficial de comemoração do primeiro centenário de O Livro dos Espíritos, proferido em São Paulo, em 18 de abril de 1957. Por meio da narrativa de Canuto Abreu, vamos conhecer detalhes históricos interessantes: como os volumes vindos da gráfica foram recebidos na livraria do sr. Dentu, editor de Kardec; qual foi o destino do primeiro livro aberto; o encontro na casa do casal Rivail, reunindo diversas pessoas para comemorar a data. Entre os presentes estavam a família Boudin, cujas jovens, médiuns, colaboraram na produção de O Livro dos Espíritos; os amigos Carlotti e Fortier, que convidaram o Codificador para conhecer os fenômenos das mesas girantes; Japhet e sua filha Ruth, médium que colaborou na revisão dos textos que compuseram a obra; a sra. Plainemaison, em cuja casa Kardec começou a conhecer as mesas girantes; a jovem Ermance Dufaux, médium, que tornou-se colaboradora do Codificador após essa data; os casais Roustan, Clément, Canu, a sra. Cardone e a filha do sr. Carlotti. COMEMORAÇÃO Nessa reunião, além das justas homenagens a Kardec, e dos felizes presságios para os novos tempos que O Livro dos Espíritos inaugurou para a humanidade, houve um breve relato histórico feito pelo Codificador, de como e por que organizou essa obra e também seus agradecimentos a todos que o ajudaram, sobretudo às médiuns. Ele descreve seus sentimentos e sua necessidade de encontrar melhores condições de prosseguir o trabalho que começou, para conhecer e entender de forma mais ampla e profunda esse mundo de coisas novas que se abriu diante dele. E assim ele chegou ao lar dos Baudin e dos Japhet e conheceu um pioneiro do Espiritismo, o sr. Roustan. Japhet e Roustan puseram a disposição de Kardec seus arquivos de comunicações mediúnicas, nos quais ele encontrou a confirmação das informações que vinha obtendo com as jovens Caroline e Julie Baudin. TRABALHO EM CONJUNTO Em O Livro dos Espíritos e sua Tradição Histórica e Lendária, Canuto Abreu inseriu sucintas biografias de Kardec e de sua esposa, Amelie Boudet, demonstrando o alto valor dela no trabalho da Codificação. Também relata conversas interessantes que acontecem na reunião, nas quais cada um fala de sua participação, direta ou indireta, nesse período que antecedeu ao lançamento do livro. Alguns participantes desse memorável momento contam como e por que colaboraram com o Codificador. Ficamos sabendo de fatos relevantes, nos levando a concluir que um grandioso plano espiritual foi juntando as partes necessárias para a sua concretização. É o caso, por exemplo, dos Baudin, que adotaram o espiritualismo, e praticavam a comunicação com Espíritos através das mesas girantes, mesmo perseguidos pela sociedade. Ocorre que houve uma comunicação de um funcionário de Baudin, comandante de um dos seus navios, relatando um naufrágio, no qual morrera, assim como toda a tripulação, fato só oficialmente confirmado quatro meses depois. O sr. Carlotti fala da transcendência e da originalidade O Livro dos Espíritos e descreve sua trajetória da Escola Magnética Naturista, dirigida pelo Barão Du Potet – da qual também Rivail fez parte – para a Sociedade de Filantropia Magnética e desta para o espiritualismo, por causa de uma comunicação mediúnica de seu falecido pai, através da médium sonâmbula Maginot. Posteriormente, ele tratou magneticamente da saúde de Ruth Japhet, de 12 anos, na qual recebeu grande potencial mediúnico, ajudando-a a desenvolvê-lo.

 UM MARCO NA HISTÓRIA Outro importante relato de Canuto Abreu revela o destino do primeiro exemplar retirado dos pacotes recepcionados na livraria Dentu, naquele 18 de abril de 1857. Ocorre que logo cedo chegou à loja o jornalista René Du Chalard, seu interesse pelo assunto fez com que recebesse das mãos dos proprietários, Melanie e seu filho Edouard, o primeiro exemplar de O Livro dos Espíritos. Du Chalard já se interessava pelo espiritualismo e havia tido uma experiência pessoal que mudara sua vida: quando criança viu o Espírito de um tio desencarnado. Após ler o livro, o jornalista escreveu um artigo, no qual se pode perceber por que ele recebeu o primeiro exemplar da obra. Verificando a importância que O Livro dos Espíritos e sua Tradição Histórica e Lendária tem para a preservação da memória do movimento espírita, nada melhor do que divulgá-lo para que todos tenham a possibilidade de ter nas mãos um importante relato histórico de 18 de abril de 1857, data do surgimento da Doutrina Espírita. REVITA ESPÍRITA O jornalista René Du Chalard foi presenteado com o primeiro exemplar de O Livro dos Espíritos em 18 de abril de 1857.

Alguns meses depois, em 11 de junho, ele publicou o artigo “A Doutrina Espírita” no jornal Courrier de Paris. Acompanhe uma compilação desse texto, que foi reproduzido por Kardec na Revista Espírita de 1858. Dou excelente uso prático a duas frases do jornalista – destacadas no artigo – que para mim são únicas e inigualáveis. “Faz pouco tempo, publicou o editor Dentu, uma obra deveras notável; diríamos mesmo muito curiosa, sem com essa palavra pretender qualquer classificação banal. O Livro dos Espíritos, do senhor Allan Kardec, é uma página nova do próprio grande livro do infinito e, estamos persuadidos, uma marca será posta nesta pagina. Seria lamentável que pensassem estarmos aqui a fazer reclame bibliográfico: se tal se pudesse admitir, preferiríamos quebrar a pena.

Não conhecemos absolutamente o autor, mas proclamamos bem alto que gostaríamos de o conhecer. Quem escreveu aquela introdução que abre O Livro dos Espíritos, deve ter alma aberta a todos os sentimentos nobres. Aliás, para que não se ponha em dúvida a nossa boa-fé e nos acusem de partidarismo, diremos com toda a sinceridade que jamais fizemos um estudo aprofundado das questões sobrenaturais. Apenas se os fatos produzidos nos causaram admiração, pelo menos não nos levaram a dar de ombros. Somos um pouco da classe chamada dos sonhadores, porque não pensamos como todo mundo. (...) Há tempos chegamos mesmo a esboçar uma teoria sobre os mundos invisíveis, guardando-a ciosamente para nos, e nos sentimos muito felizes porque a encontramos, quase por inteiro, no livro do sr. Allan Kardec.

 A todos os deserdados da terra, a todos quantos marcham e que nas suas quedas, regam com as lágrimas o pó da estrada, diremos: lede O Livro dos Espíritos; ele vos tornará mais fortes. Também aos felizes, aos que pelo só encontram as aclamações e os sorrisos da fortuna, diremos: estudai-o e ele vos tornará melhores. O corpo da obra, diz o sr. Allan Kardec, deve ser atribuído inteiramente aos Espíritos que o ditaram. Está admiravelmente dividido no sistema de perguntas e respostas. Por vezes estas últimas são sublimes, o que não nos surpreende. Mas não foi necessário um grande mérito a quem as soube provocar? (...) O senhor é homem de estudo e tem aquela boa-fé que apenas necessita instruir-se? Então leia o ‘Livro Primeiro’, sobre a Doutrina Espírita. Está na classe das criaturas que apenas se ocupam consigo mesmas e que, como se costuma dizer, fazem os seus negócios muito tranquilamente e nada enxergam além dos próprios interesses? Leia as ‘Leis Morais’. A desgraça o persegue encarniçadamente e a dúvida o tortura por vezes no seu abraço gelado? Estudo o ‘Livro Terceiro: Esperanças e Consolações’ o jornalista refere-se à primeira edição de O Livro dos Espíritos, na segunda, com o acréscimo de novas questões, a ordem dos temas foi modificada. Todos quantos aninham pensamentos nobres no coração e acreditam no bem, leiam o livro da primeira à última página. Aos que encontrassem nesse livro matéria para zombarias, o nosso lamento”. (C.H.S) CANUTO ABREU
Silvino Canuto Abreu nasceu na cidade de Taubaté, interior de São Paulo, em 19 de janeiro de 1892. Estudou Farmácia, Medicina e Direito, no Rio de Janeiro. Aperfeiçoou-se em Teologia e Ciências Religiosas na França. Viajou quase todo o mundo e aprendeu vários idiomas, inclusive o grego, o hebraico e o aramaico. Colaborou com o Governo Federal em inúmeras circunstâncias, nos campos jurídico, trabalhista, social, mercantil, econômico, petrolífero, exportador; ajudou a solucionar a questão da imigração asiática, tendo ido ao Oriente para estudar o assunto, solucionou a questão canavieira, evitando a falência das usinas com a criação da Comissão do Açúcar, participou da organização do Ministério do Trabalho. Escreveu mais de 100 artigos sobre diferentes teses médicas. Fundou a Associação Paulista de Homeopatia. Estudou e traduziu o Novo Testamento dos manuscritos mais antigos que encontrou, tendo estagiado no Museu do Vaticano, em Roma, para realizar suas pesquisas. Canuto Abreu foi o primeiro a traduzir do original a primeira edição de O Livro dos Espíritos, que publicou na comemoração do centenário do Espiritismo em 18 de abril de 1957. Ao comparar as duas versões de O Livro dos Espíritos, de 1857 e 1860, pode-se visualizar todo o trabalho que Kardec teve para revisar e ampliar a obra, sendo a segunda edição utilizada atualmente. Reconhecido como uma figura fundamental na divulgação do Espiritismo, Canuto Abreu morreu em 02 de maio de 1980, em São Paulo. (C.H.S). CENTENÁRIO DA DOUTRINA ESPÍRITA O primeiro centenário de O Livro dos Espíritos foi uma data significativa para o Espiritismo, pois celebrou-se o surgimento da Doutrina Espírita e também de Allan Kardec, o Codificador. Em O Livro dos Espíritos e sua Tradição Histórica e Lendária, encontra-se o discurso que Canuto Abreu apresentou durante a comemoração do centenário, proferido em São Paulo, em 18 de abril de 1957. As festividades aconteceram no Ginásio do Pacaembu, com cerca de dez mil participantes.

Algumas rádios transmitiram a comemoração, para que os espíritas do interior do estado pudessem acompanhar. A mesa diretiva do evento foi composta por grandes espíritas da época: Canuto Abreu, Luís Monsteiro de Barros, Abraão Sarraf, Herculano Pires, José Freitas Nobre, Matilde de Carvalhos, Carlos Jordão da Silva, João Teixeira de Paula, entre outros. (C.H.S) SARRAF. Cristina Helena, Onde tudo começou. Universo Espírita, São Paulo, Universo Espírita, Ano 4, n. 42, p. 66-69, 2007. Matéria publicada originalmente na revista Universo Espírita, umas das publicações espíritas mais profundas e esclarecedoras já surgidas no mercado editorial. A revista está paralisada momentanemente na busca de recursos para prosseguir na sua trajetória. O portal da Sociedade Espírita Nova Era trará, eventualmente, alguma matéria da publicação procurando manter viva esta iniciativa, tão importante para o espiritismo.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Filmes Espirita, Assista sem precisar baixar.






15 FILMES ESPÍRITAS SEM NECESSIDADE DE SE FAZER O DOWNLOAD.
Seguem 15 filmes com temas espíritas. Não há necessidade de se fazer download. É só clicar.
A duração média dos filmes é de aproximadamente 1 hora
Aproveitem...
1 - O Pássaro Azul - Filme Completo - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/172
2 - Em Nome de Deus - Filme Completo - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/171
3 - O Último Espírito - Filme Completo - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/170
4 - Chico Xavier - Brilha Uma Luz no Horizonte - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/169
5 - Ressurreição - INÉDITO! - (Filme)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/168
6 - Reencarnação - A Lógica Reencarnacionista - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/162
7 - Os Espíritos e os Efeitos Físicos - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/161
8 - A Influência Espiritual - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/160
9 - A Atitude Mental - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/159
10 - Sobre a Morte e o Morrer - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/156
11- Quando os Anjos Falam - (Filme Completo) - IMPERDÍVEL!!!
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/153
12 - A Corrente do Bem - (Filme Completo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/151
13 - Dr. Bezerra de Menezes - O Diário de Um Espírito - (Filme Completo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/150
14 - Chico Xavier - 1977 - 50 Anos de Mediunidade - (Vídeo)
http://universoespirita..multiply.com/reviews/item/149
15 - Divaldo P. Franco - Evangelho e Vida - O Poder da Oração - (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/148


    16- Frederico Menezes – A Transição do Planeta Após 150 Anos – (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/164
17 – Perturbação Espiritual – (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/158



18 – Reencarnação – A Lógica Reencarnacionista – (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/162
19- Os Espíritos e os Efeitos Físicos – (Vídeo)
http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/161







ESPIRITUALIDADE E CIÊNCIA: 15 FILMES ESPÍRITAS SEM NECESSIDADE DE SE FAZER O ...: Seguem 15 filmes com temas espíritas. Não há necessidade de se fazer download. É só clicar. A duração média dos filmes é de aproximadame...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Universalidade Espírita: Suposta mensagem de Allan Kardec recebida por médium do Pará - Forum Espirita

A MENSAGEM DE KARDEC Que a paz do Senhor esteja com todos os meus irmãos presentes, por estarmos reunidos na palavra de Jesus. A médium não está só. Observem os videntes presentes, eu a envolvo incorporado para palestrar com vocês. Não digo que seja eu o Codificador do Espiritismo, porque apenas ilustrei as obras que o Cristo ditou através de um grande número de espíritos iluminados encarregados de trazer a verdade a Terra. Eu era apenas um homem simples, que não tinha tendências para trabalhos espirituais. Minha atividade era outra, mas fui levado por amigos a conhecer esta verdade. Mais tarde recebi de um dos espíritos a incumbência de ilustrar esta obra magnífica que ficaria para o consolo de todos aqueles que dela necessitassem, mas de mim nada tem. Não tinha mediunidade para expressar as mensagens diretamente de mim mesmo, utilizar as energias para que os espíritos pudessem se comunicar. Contava com a presença de vários Espíritos Reveladores, e que, um deles que se comunicou foi quem implantou esta Casa(1). Foi grande a satisfação e imensa a alegria, por que não dizer? Encontrei as portas abertas e as condições plenas para que eu pudesse também mostrar o que tinha a transmitir a vocês. É algo que está se aproximando, alguma coisa que vai trazer modificação a este planeta terra, e não poderia ser de outra forma. (1) - Kardec refere-se ao espírito de Cáritas ,que no salão da União Espírita e junto ao Chico Xavier pediu aos irmãos a implantação da Casa. Com permissão do Mestre Jesus, deram a mim a incumbência de dar início às comunicações, pois disseram os espíritos: - "Foi você quem abriu as portas para que os homens pudessem receber a verdade, agora, abra-as de novo". E eu me orgulho por estarmos unidos novamente, juntos, na mesma verdade, juntos porque temos as mesmas intenções, juntos porque queremos as mesmas coisas. Unidos na verdade e poder dizer à Humanidade terrena que Jesus não esquece ninguém, que Jesus não veio à Terra por acaso, como um relâmpago, mas para deixar ensinos eternos. Para muitos de nós estes ensinos estão conosco e continuam eternamente, para outros é preciso lembrá-los todos os dias, pois eles nos levarão a um mundo melhor. Trago comigo um grupo de Espíritos que se acha aqui sentados a uma mesa redonda, também fazendo parte desta comunicação. O que eu tenho de bom para vos dar? O que posso vos dar é a coragem, a certeza de que o Espiritismo é vida, a certeza de que vós estais num caminho de consolo. Vou continuar, sendo bem visto ou não estarei aqui em outras oportunidades, também para mostrar que o Espiritismo é trabalho, é caridade. Que o espiritismo não deve ficar apenas sobre a mesa, mas deve estar nas mãos dos que têm boa vontade. Jesus nos disse que iria, mas, que enviaria um outro Consolador, e que este Consolador está presente para levar nossas vidas a caminhos melhores tanto carnal como espiritual. Como a Terceira Revelação, o Espiritismo, eu afirmo que ele vai continuar se desenvolvendo por todo o planeta. No mundo espiritual estão trabalhando os emissários do Cristo, para trazer à Terra revelações que Jesus promete para esse milênio que se aproxima. Eu os anuncio, porque as bases estão preparadas. Se me apraz voltar ao assunto, vejo que muitos dos presentes poderiam dizer: e o Espiritismo não é isso que estamos vendo? Para uns o Espiritismo é trabalho, é luta para o progresso espiritual, mas para outros,.....fecham as portas e não têm coragem de irem à luta. Há os que consideram feio, ridículo se deparar com espíritos, há os que se apegam unicamente aos estudos buscando o reino dos céus. Eu pergunto - Onde está o ridículo? Está em nós? Está entre aqueles que necessitam ou está entre os que têm coragem? O Senhor nos ensina que devemos lutar enquanto forças tivermos. Se não criarmos coragem para lapidar nosso espírito, jamais seremos grandes. Não vamos fechar nossas portas porque está faltando coragem aos homens da Terra, porque está faltando boa-vontade para trabalhar e lutar por aquele que está sofrendo. Tivemos na terra, em tempos passados, à mesma época de Jesus, um espírito(2) que foi exemplo para toda a humanidade. Um espírito que mostrou sua bravura e sua coragem. Lutou entre os homens e mostrou que era um daqueles que tinha condições de dizer frente a frente: "coragem homens terrenos, porque como mulher sou ainda muito pequena para lhes igualar em forças, mas dentro de mim há um espírito que fala mais alto que eu, e digo a vocês: Meu medo não fica aqui, nem me levará ao fundo, mas a altivez de espírito e confiança no irmão que tenho em minha frente é que me eleva e me faz forte para lhes dizer o que digo". Façam de mim o que quiserem, deixem-me nua, cortem-me, despedacem-me, mas meu espírito vocês não terão, porque viverei para a eternidade. (2) - referência ao espírito de Madalena. E me dizia este espírito: "Zombaria não faz mal aos fortes; que cuspir em sua face não a diminuiria, e que pedras não marcam espíritos", e assim se fez merecedora da vitória. Fez seu espírito crescer em todas as encarnações e trabalhou sem nenhum medo. Foi ela tão pequena mulher que nos mostrou coragem, foi ela quem disse ao Mestre Jesus - "Senhor, se quiseres mais de mim, podeis pedir, que darei novamente o meu espírito, e voltarei aos homens da carne, para que eu possa, mais uma vez, externar o meu gesto de perdão àqueles que estão ansiosos por uma nova condenação; trabalhar com coragem como já trabalhei, olhar nos olhos daqueles que me enviaram ao fogo do inferno e dizer novamente: “do meu corpo podem fazer o que quiserem, mas meu espírito viverá eternamente, porque o meu desejo é sempre servir". Jesus não envia seus discípulos à Terra para colocá-los em palácios. Ele os envia aos pequenos lugares, aos mais humildes, para que todos possam sentir que não é dos grandes homens que parte a verdade. Muitos gostariam de nos ouvir, mas aqui não estão presentes, pois sua hipocrisia é muito grande para acreditar numa dessas virtudes que o Cristo envia. Eles ainda não aprenderam deixar o orgulho de lado e acreditar realmente que o Senhor revela seus ensinos aos mais humildes, aos mais simples e pequenos. Não poderia, disse um espírito que estava à minha cabeceira, com quem há poucos instantes conversava: - "Você foi quem mostrou, ilustrou os livros e os conhecimentos da verdade. As obras deram-lhe o direito de ser conhecido. Você mesmo continuará sua tarefa, levando a todos a palavra àqueles que quiserem lhe ouvir outra vez". - Sim, concordo, disse ao espírito, mas não serei eu a levar. Eu engrossarei as fileiras de nossa Direção Superior, estarei sempre pronto a contribuir. A verdade veio e virá a todos, quer queiram, quer não, pois assim deseja o Senhor, aceitem os homens competentes ou não, e será a nossa palavra contra a deles. Muitos dirão: - "Homem ilustre, que codificou o Espiritismo, hoje se diz incorporado em espírito a transmitir sua palavra àqueles que nele acreditam", mas se algum de vocês presentes, em corpo carnal, tiver a capacidade espiritual de me ver, vejam e respondam-me. Fechem os olhos carnais e me verão os que tiverem condições. Acaso não temos presentes alguns videntes, como sei? Sou tido como homem ilustre, como um Codificador, mas não deixo de ser um espírito, e pergunto a vocês: Como terá um espírito condições de transmitir sua palavra ao público, a não ser usando um corpo mediúnico para levar sua mensagem? Outros dirão – o médium não tem evolução para tanto, e eu pergunto – conhecem o espírito do médium ? Mas preocupem com isso, atenham-se ao bom senso. A minha palavra, ilustres irmãos, com satisfação ficará com vocês, porque muitas outras virão dos Espíritos, e hoje estamos plantando a primeira semente. Esta foi plantada e vai dar muitos frutos; muitos poderão até se congestionar com eles, porque seus corações não estão preparados. Ao conversar com meus irmãos espirituais numa das minhas descidas à Terra, no socorro de nossos irmãos pequenos, e, por nos interessar, aproximamos. Eram libertos da matéria e não estavam depurados, então não tinham condições de nos ver. Eu, como caravaneiro, e que tenho a missão de instruir esses irmãos e conduzi-los a uma vida melhor, aproximei-me e ouvi o que um dos quatro dizia: - "Rapaz, não tenho segredo a ninguém. Nunca fiz segredo de minha vida. Sempre fui o que sou. Nunca escondi nada de ninguém. Minha vida é um livro aberto". Os companheiros começaram a rir e ele retrucou - "Por que vocês estão rindo ? Minha vida realmente é um livro aberto". Foi aí que me aproximei, fiz emissão de energias com as mãos para que eles se certificassem da minha presença, limpei seus olhos e disse a ele: -Sou um emissário do Senhor e quero te perguntar. Ele me respondeu: - "Pode me perguntar". Eu disse: -Ouvi tua conversa, meu prezado irmão. Dizias tu, que nada tinhas para esconder e que de nada se envergonharia de tua vida. Por isso te pergunto: - Se tua vida é um livro aberto, posso folheá-lo? Ele olhou para mim e disse : - "Se és um emissário do Cristo, deixa meu livro como está." E assim vocês poderão dizer que nada temem e nada têm a esconder, mas se quiserem folhear seus livros, também responderão: - Deixe-o como está. Todos nós, enquanto não crescemos, enquanto não alcançamos maturidade suficiente, temos certeza de que vamos ter alguma coisa a esconder. Vamos ter sim, sempre algo que não queremos lembrar. Eu porém, vos convido, não como emissário do Cristo, mas como amigo e trabalhador. Vamos trabalhar, vamos lutar para um dia não termos vergonha de folhear o livro de nossa vida. Ele será limpo, escrito com trabalho honesto, com trabalho que edifica nossa alma. Vamos trabalhar, pois o Cristo está trabalhando todos os dias pelo desenvolvimento da Terra. Vamos mostrar que podemos fazer muito mais. Codificar melhor ainda o Livro dos Espíritos, o Livro dos Médiuns, A Gênese, e todos os outros para podermos ficar unidos. Não vamos trabalhar sozinhos, porque sozinhos teremos dúvidas. Vamos unir as nossas forças espirituais e materiais, as forças divinas, que não nos nega jamais o direito de pedir. Poderão vocês fazer mais ainda. Por que só pude codificar a Doutrina, vez que não tinha dons mediúnicos; mas vocês terão mais, pois estão dentro de uma Casa que recebe toda instrução espiritual. Todos terão oportunidade de trabalhar e pôr em prática os ensinos que aprenderão com a própria Caridade; ela se acha reencarnada entre vós. Eu disse a vocês que tinham mais oportunidades que eu, pois estão com a própria Caridade em vossa casa, mas outros Centros poderão receber o benefício deste trabalho, desde que tenham humildade para buscá-lo. Meus irmãos, caridade não se faz só com pão e água; caridade se faz também com luta, com amor ao próximo. Dentro de muitos espíritos está escrito: Não amo nem a mim, Senhor! Porém, primeiro se aprende a amar, depois se põe em prática. Minha vinda aqui não foi para falar de mim, do que fui ou do que sou, ou poderei ser, mas sim que vocês estão crescendo, mas não cortaram o cordão umbilical ainda. Alguém diz a vocês que não é, e logo ficam apreensivos; Têm olhos para ver e ouvidos para escutar, pois que ouçam e escutem, não duvidem. Para isso examinem, comparem se não há nenhum réptil por trás deste cesto de flores, como já disse um outro Espírito certa vez. Irmãos, a verdade não pode ser dita pela boca de qualquer um. Nem todos podem falar da verdade, ela machuca a si próprio. Para a realização de um trabalho como este é preciso ter nossos espíritos em condições, precisamos merecer do Cristo a confiança. Não se faz da noite para o dia uma equipe de trabalhadores organizada espiritualmente. Há espíritos que querem importantes missões, que desejam muito trabalhar, mas se demoram anos e anos reencarnando para adquirir uma oportunidade. Não se cresce espiritualmente da noite para o dia, meus irmãos; se cresce em doação constante de encarnação em encarnação, sempre correspondendo, para que se possa receber em confiança um trabalho como este. Eis porque os corações inquietos relutam em admitir entre vós a existência dos Espíritos maiores nesta Casa. Temos no Cristo a âncora deste trabalho, o nosso espírito maior, o mais inteligente e poderoso dos homens que a terra já viu. Nem um outro pôde igualá-lo em grandeza. Porque Jesus pôde parar a tempestade, pôde multiplicar os pães, mostrou os peixes para Pedro. Jesus deu vida a um morto, curou o que estava leproso. Jesus curou o cego com toque de mão, e com o toque de suas mãos ele controla o globo. Jesus está com suas mãos cada vez mais envolvidas para a proteção do planeta, do qual é dirigente. Ele é quem dirige todos nós. Ele é quem ordena sobre nós. Se Jesus quisesse, amanhã todos estariam em graves dificuldades e não teriam o que comer, mas ele não quer assim; ele multiplica o pão daquele que faz boa ação, daquele que trabalha em benefício do bem, daquele que deseja amenizar o sofrimento de seu irmão. Jesus não quer que falte nada, ele quer fartura, abundância, pois de Deus emanaram suas luzes e Jesus permanece com seu espírito envolvendo a todos, e todos se fartarão. Um mundo de progresso poderá vir para cada um de nós. Aquele que plantou hoje colherá amanhã, mas aquele que não plantou terá que aprender a plantar para merecer a grandeza, pois enquanto não semear de ti o bem, não terás o progresso. Não terás ajuda enquanto não ajudares o teu próximo. Enquanto não fizeres com tuas pernas caminhadas em socorro daqueles que precisam, não crescerás. Sentimos que temos muito o que aprender. O aprendizado é uma necessidade para o espírito. Juntamente com o aprendizado vem a transformação de nossos atos, tendo nós, para isso, que aproveitar todas as oportunidades que o Cristo nos dá, aliás, o Cristo é o Senhor de nossas vidas. Amando a ele ou não, respeitando a ele ou não, concordando com ele ou não, sempre estaremos sujeitos às suas determinações. Todo o comportamento humano ideal foi resumido no "amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a si mesmo ", assim disse Jesus, mas um dos irmãos pergunta: - Quem é meu próximo, vós podeis dizer? Ele responde :- "Todo aquele que não tiver o que comer e o que beber. Todo aquele que não tem teto para se abrigar; todo aquele que estiver em necessidade ". O irmão responde: - "Senhor, não estou preparado para entrar nesse mundo.” Jesus segue em sua caminhada e logo adiante se depara com uma imensa multidão e lá outros lhe fazem perguntas, e um deles: - Senhor, estou faminto. E o Senhor indaga: - Está faminto de que, de pão? Ele responde curvando a cabeça - Não Mestre, minha fome é de amor, este pão que o Senhor tem parte no meu espírito, é deste que eu me sinto vazio. Jesus responde - Filho de Deus, filho de meu Espírito, porque és criação eterna, de hoje em diante fartarás, pois com minhas mãos eu te coloco a doze divina para jamais ter fome. O homem se levanta e se sente forte, cresce em espírito e ainda pergunta: - Senhor, posso vos acompanhar? Ele responde - Para onde vou ainda não podes ir. Ainda não estais preparado, mas breve eu voltarei e podereis me seguir. O homem ficou parado, olhando o caminhar de Jesus, e logo o corpo de Jesus se desfez. Não sabia ele que Jesus estava em Espírito. Jesus está de volta com estes ensinamentos, com esta Doutrina que é o Espiritismo. Para uns é religião, para outros é filosofia, ciência; para mim é verdade. A verdade que me deu oportunidade de estar hoje aqui, a semear em vossos corações. A verdade que nos dá coragem para dizer que todos nós somos irmãos, a verdade que convida a todos a se reunir de pensamentos e espíritos fortalecidos nessa Doutrina que consola. Para levarmos adiante nossa bandeira da paz e da caridade, não há incentivo maior que o Consolador prometido. Eis, pois a razão da divulgação do Espiritismo, que é a base do esclarecimento, o verdadeiro pão da alma, afinal ele é o próprio Cristo redivivo. Como já foi dito aqui mesmo, pela dirigente espiritual(3) desta Casa, que muitas chuvas fortes virão e grandes dores baterão nesta porta. Precisamos estar prontos para servir, trabalhar e atender aquele que estiver pedindo, o que estiver necessitado. Este é o trabalho que Jesus quer, é esta a luta desejada para que não esqueçam jamais o sentimento de fraternidade . (3) – Trata-se de Irmã Rosália, que substituiu Cáritas, que reencarnou. OBS: é preciso passar pelo fino crivo de severo crité­rio todas as revelações e todos os ensinamentos recebidos. Assim nos assegura Léon Denis na sua obra depois da morte, sendo assim possamos pensar e refletir quanto a esta mensagem.Suposta mensagem de Allan Kardec recebida por médium do Pará - Forum Espirita Postado por Bernard às 1/30/2011 Universalidade Espírita: Suposta mensagem de Allan Kardec recebida por médium do Pará - Forum Espirita

Poesia da Rose para seu amado Pai

Rose Ah... meu pai... Morreu tão novo... pele sem vincos... Olhos cheios de surpresa. Deixei você pelo caminho... Lá onde deixei nem é tão longe... Há pouco ainda carregava sua voz, seu cheiro de suor, sua camisa xadrez... Resolvi deixar você Descansando um pouco de mim... Ficou lá na beira do caminho à beira do trigal e do campo de girassóis, desenhando na areia da estrada... Talvez eu não volte mais para buscá-lo Talvez eu o deixe órfão de mim. Mas eu volto para avisar que não venho. Quando eu voltar, trago-lhe meu peão feito de carretel e minhas caixinhas de fósforos encapadas de chita vermelhas e amarelas! Beijarei seu rosto sem vincos e você vai achar estranho meu beijo velho com perfume de maracujá maduro... Depois eu vou... Antes que pergunte o me nome Antes que se lembre quem sou.

domingo, 14 de agosto de 2011

Religião é diferente de Espiritualidade?


 Osvaldo Shimoda  escreveu::

 O rótulo religioso não passa de uma experiência transitória em determinada época do curso ascensional do espírito eterno. Ramatis

 As religiões praticaram atrocidades no mundo todo, sempre em nome de Deus e da fé. Na inquisição, filósofos e cientistas como Giordano Bruno, Copérnico e Galileu Galilei, que se opuseram à visão geocêntrica, foram perseguidos pela Igreja Católica a qual, em defesa de seus dogmas, acusou-os de heresia ou bruxaria junto de inúmeras outras pessoas, muitas das quais foram queimadas na fogueira. Por questões religiosas, nas guerras santas, travaram-se violentas e sangrentas batalhas, onde também inúmeras vidas foram ceifadas. Atualmente, os conflitos entre judeus, cristãos e muçulmanos, no Oriente Médio, ameaçam a Paz Mundial. Com freqüência, vemos nos noticiários explosões de bombas em igrejas, mesquitas e sinagogas. Ainda no campo religioso, vemos também o crescimento das Igrejas Evangélicas, cada uma interpretando a Bíblia do seu modo, e a crescente mercantilização da fé. Apesar dos grandes avatares como Sidarta Gautama (Buda), Jesus, Krishna, Maomé e Moisés, entre outros, terem trazido grandes avanços à humanidade, muitos de seus seguidores acabaram deturpando a proposta original desses mestres.








No movimento espírita, no entanto, apesar do imenso respeito e de reconhecer e me identificar com as obras de Kardec, de acordo com a minha experiência no consultório com as manifestações espirituais de meus pacientes (conduzi até hoje mais de 9000 sessões de regressão), sou obrigado a discordar em parte da sua metodologia no tratamento da desobsessão espiritual.






 (Leia mais no link abaixo) Religião é diferente de Espiritualidade?

Dia dos Pais

div class="separator" style="clear: both; text-align: center;">
Sou muito grata ao pai que tive, pelos exemplos, os principios, os conselhos, por ter me deixado escolher livremente meus caminhos, e por me aplaudir pelos sucessos, por me puxar pelas orelhas na hora certa, por rir comigo, e rir de mim, por pegar meus filhos nos braços e mimá-los, por suas preocupações comigo, pelos sacrificios, pelas lágrimas vertidas, pelas lagrimas suprimidas, pela sua força, pelas suas fraquezas, por me ajudar a vencer os primeiros desafios, e por ainda hoje estar comigo, na forma das lembranças queridas, por me beijar atraves do vento quando a saudade me arde no peito. Sei que sou um pouco ele, e ele é um pouco eu. De certa forma somos uma continuação do outro eternizados no amor que nos uniu. Obrigada meu pai querido, amar-te-ei eternamente!
Homenage da Rose para seu querido Pai
Rose Ah... meu pai... Morreu tão novo... pele sem vincos... Olhos cheios de surpresa. Deixei você pelo caminho... Lá onde deixei nem é tão longe... Há pouco ainda carregava sua voz, seu cheiro de suor, sua camisa xadrez... Resolvi deixar você Descansando um pouco de mim... Ficou lá na beira do caminho à beira do trigal e do campo de girassóis, desenhando na areia da estrada... Talvez eu não volte mais para buscá-lo Talvez eu o deixe órfão de mim. Mas eu volto para avisar que não venho. Quando eu voltar, trago-lhe meu peão feito de carretel e minhas caixinhas de fósforos encapadas de chita vermelhas e amarelas! Beijarei seu rosto sem vincos e você vai achar estranho meu beijo velho com perfume de maracujá maduro... Depois eu vou... Antes que pergunte o me nome Antes que se lembre quem sou.

sábado, 13 de agosto de 2011

Exercer a mediunidade




Osvaldo Shimoda Escreve ::

 Você está cumprindo o acordo feito no Astral? Síndrome do pânico, vida bloqueada, inquietação, angústia, choro fácil (sem motivo aparente), fobia, isto é, mal-estar em locais públicos (cinema, shopping, metrô, shows), instabilidade de humor (humor extremado), costumam ser os sintomas clássicos de um médium em desequilíbrio. Mas, por quê?

Em minha experiência clínica no consultório, são dois os fatores que causam esses transtornos:

 1) Assédio espiritual: por conta dos canais mediúnicos abertos, esses médiuns são constantemente atacados por seres das trevas -sejam obsessores espirituais (desafetos do passado do paciente, em que foram prejudicados pelo mesmo e, com isso, buscam prejudicá-lo e, movidos à ódio e vingança, querem acertar as contas)- ou espíritos oportunistas, que querem um auxílio, um amparo espiritual.

 2) Não cumprimento do acordo feito no Astral: por terem prejudicado e gerado muito sofrimento às pessoas em existências passadas; para repararem esse erro, no Astral, firmaram juntos com os seus mentores espirituais um acordo, um compromisso de trabalho espiritual como médiuns ao reencarnarem nesta vida terrena -seja em incorporação, ou mesmo em cura, através da imposição das mãos-, ajudando os necessitados. No entanto, por indulgência, rebeldia, teimosia, imaturidade espiritual, falta de esclarecimento, preconceito, receio de assumirem responsabilidade como médiuns-, ignoram, negam ou fogem dos trabalhos mediúnicos nos centros espíritas Kardecistas, umbandistas, etc.. Preferem, portanto, o caminho da dor, do sofrimento, em vez de seguirem o caminho do amor, da boa vontade, exercendo a mediunidade no auxílio ao próximo. Freud, o pai da psicanálise, dizia: Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, o ser humano tende a mudar. Infelizmente, é nessa condição que a maioria de meus pacientes médiuns vem ao meu consultório. Recordo-me de uma paciente que me procurou por conta de estar perdendo sua audição (ela tinha 70% de acuidade auditiva no ouvido direito e 40% no esquerdo).

Clinicamente, os exames feitos pelos médicos não acusaram nenhuma lesão ou quaisquer distúrbios orgânicos em seu aparelho auditivo.

Ao passar pela TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) -A Terapia do Mentor Espiritual, abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim-, seu mentor espiritual lhe mostrou uma cena de uma vida passada, na qual trabalhava como médium num centro espírita Kardecista, mas auxiliava os necessitados escutando-os com má vontade.

Por fim, acabou abandonando a casa espírita, preferindo as noitadas, as festas e veio a falecer de overdose de cocaína nessa existência passada. Após seu mentor espiritual ter lhe mostrado essa cena da vida pretérita, disse-lhe que hoje sua cura auditiva dependia da cura dos necessitados, caso viesse a trabalhar no centro espírita. Ou seja, estava tendo novamente a oportunidade de exercer a sua mediunidade ouvindo, ajudando os mais necessitados, desta vez com interesse genuíno em ouvi-los e ajudá-los.

 Confira, a seguir, o caso de uma paciente que sofria de Síndrome do pânico, angústia, inquietação, choros constantes sem motivo aparente, tudo por não estar exercendo sua mediunidade, compromisso firmado com o seu mentor espiritual no Astral. Caso Clínico: Compromisso espiritual com a mediunidade Mulher de 48 anos, divorciada, dois filhos

 A paciente veio ao meu consultório querendo saber qual era o seu verdadeiro caminho espiritual, pois não havia ainda se encontrado espiritualmente, apesar de ter frequentado a Igreja Católica, Seicho-No-Ie, Kardecismo, Umbanda, e tendo buscado a Apometria e o Santo Daime. Sofria de Síndrome do Pânico; sua primeira crise de pânico se manifestou aos 18 anos (na ocasião, ela estava grávida).

 Não conseguia entrar em elevador e frequentar locais de muita aglomeração (metrô, shopping, cinema). Após saber que o pai estava com câncer, veio a segunda crise de pânico (tinha insônia, não dormia à noite, pois sentia que ia morrer, com falta de ar, sufocamento, taquicardia, sudorese, angústia, inquietação).

Antes, não conseguia viajar de avião ou de ônibus, pois tinha medo de ficar presa. Hoje conseguia sair de casa, embora, quando veio a São Paulo de avião, sentiu medo de ter novamente a crise de pânico. Costumava sentir no seu cotidiano muita angústia, inquietação e vontade de chorar; sem motivo aparente.

Queria entender também por que só se envolvia com homens que lhe traziam sofrimento, desarmonia e sempre padecendo de uma situação financeira precária, a ponto de ter que ajudá-los financeiramente. Por fim, queria entender o seu relacionamento com a mãe, que a tratava duramente, com imposições, cobranças, possessividade (se ficasse dois ou três dias seguidos sem ligar para a mãe, ela a cobrava).

Não conseguia ser mais firme e incisiva com ela, pois tinha medo de magoá-la. Sendo assim, sentia-se culpada quando a contrariava. Após ter passado por duas sessões de regressão, a paciente veio na terceira e última chorando, angustiada, sentindo novamente os sintomas do pânico. Após orarmos juntos, mais calma, ao regredir, ela me relatou: Meu semblante se fecha... parece que não quero enxergar... algo me incomoda. (pausa). - O que lhe incomoda? - Perguntei à paciente.


Não consigo entender... é como se não quisesse ver. É uma coisa ruim, mas gostaria de ver. - Peça ao seu mentor espiritual para que lhe mostre - peço à paciente. Ele diz que na verdade eu não quero entrar em contato com a minha situação de vida. - A que situação de vida ele está se referindo? Ele está se referindo ao que me faz sofrer, ao fato de eu ter essa angústia, inquietação e crises de pânico. Diz que estou sendo rebelde com o compromisso que preciso assumir. (pausa). - Que compromisso? - Pergunto novamente à paciente. Ele se refere ao meu trabalho mediúnico. Afirma que eu me comprometi antes de reencarnar, no Astral, a fazer um trabalho espiritual -através de minha mediunidade- em ajudar às pessoas, mas diz que tenho duvidado, não tenho confiado no Poder de Deus. Eu tenho sido teimosa, diz que não estou acreditando na importância de fazer esse trabalho para realmente ajudar as pessoas e também me ajudar. Em vez disso, prefiro me esconder, fugir dessa responsabilidade. - Pergunte-lhe por que você assumiu no

Astral o compromisso de ajudar as pessoas com sua mediunidade? “Ele fala que já prejudiquei muita gente em outras vidas. Então, exercer a minha mediunidade é uma forma de reparar o mal, todo o sofrimento que causei às pessoas. Esclarece também que a minha alma me cobra. Mas diz que tenho deixado de cumprir, que não estou levando a sério esse compromisso“. - Pergunte ao seu mentor espiritual por que você não está levando a serio seu compromisso? “Ele diz que é uma questão de vaidade, de rebeldia, de dúvida, de não acreditar que isso é importante. Fala que, no fundo, a minha alma sabe da necessidade de se fazer esse trabalho espiritual, mas que me deixo ser levada pelo meu egoísmo, de só querer receber. Fala ainda que por ter essa consciência espiritual, estou em condições de exercer a minha mediunidade em benefício do próximo.

Reafirma que tenho condições, maturidade espiritual e moral para o trabalho mediúnico, porém, estou sendo indolente, desleixada. Pela minha teimosia, estou preferindo seguir o caminho da dor. Diz que ainda estou apegada à dúvida do meu ego, do “ver para crer”, mas que não preciso mais disso, que tenho maturidade o suficiente para entender o lado espiritual. O meu mentor espiritual reconhece que tenho buscado bastante a fé -através da prece e das leituras de literatura espiritual-, mas esclarece que se realmente quero demonstrar a fé em Deus, tenho que colocar em prática a minha mediunidade”. - Pergunte-lhe que tipo de mediunidade você precisa desenvolver? “Diz que é a mediunidade de cura, que tanto posso trabalhar em incorporação, bem como não incorporar, utilizando a cura através da imposição das mãos, orientada pelos meus guias espirituais”. - Onde você pode desenvolver esse trabalho mediúnico? - Peço à paciente.

 “Afirma que é na Umbanda”. - Por que na Umbanda? - Pergunto novamente à paciente. “Ele me esclarece que é por causa dos meus guias espirituais, isto é, os caboclos que me acompanham. Diz ainda que na Umbanda o meu trabalho mediúnico irá fluir melhor... eu me recordo que me senti muito bem quando participei dos rituais de Umbanda, identifiquei-me com muita facilidade com os trabalhos da casa. Ele me diz que é uma identificação de alma. Realmente me senti muito bem. Quando era adolescente, gostava muito das músicas da cantora Clara Nunes (já falecida). Ela cantava uma música chamada ‘Guerreira’, onde ela dava uma ‘salva’, que é um cumprimento dos caboclos. Ela cantava saudando desde os orixás até Jesus e Nossa Senhora da Conceição. Eu ficava arrepiada quando escutava essa música, sentia uma alegria intensa.

Já vi um índio quando estava orando em meu quarto. Ele era lindo, forte, grande, e usava um cocar. Aliás, a minha descendência é indígena. Eu me identifico também com o barulho dos atabaques utilizados nos rituais do Santo Daime. Tomei o Ayahuasca (uma infusão vegetal psicoativa da Amazônia com o fim de catalisar processos interiores e espirituais, sempre com o objetivo de cura e bem-estar do indivíduo, bem como o autoconhecimento e interiorização, meios eficazes de obter sabedoria).

O meu mentor espiritual pede para que me firme cada vez mais em Deus, que continue orando, e de uma vez por todas inicie o mais rápido possível na Umbanda, pois já estou atrasada. Diz que o tempo urge, que não tenho mais que ficar adiando tudo, como venho fazendo.(Continue lendo)




  Exercer a mediunidade

http://www.stum.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=11131

Você está preparado para passar por uma regressão de memória?




Osvaldo Shimoda :: Muitos pacientes vêm ao meu consultório com uma expectativa equivocada, até mesmo fantasiosa, de como é a TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) - A Terapia do Mentor Espiritual - Abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim. Ficam frustrados, decepcionados, porque tinham em mente que já na 1ª sessão de regressão iriam saber algo de sua vida passada, ou mesmo conversar com o seu mentor espiritual para conhecer a causa de seus problemas e a sua resolução. Entretanto, ignoram que é o seu mentor espiritual quem direciona essa terapia, e que existem várias formas de vivência; portanto, nem sempre o paciente vai ver algo, pois muitos trazem nessa terapia experiências de suas vidas passadas, ou mesmo presenças de seres espirituais das trevas (obsessor espiritual) ou da luz (mentor espiritual) de forma intuitiva, isto é, em impressão, sensação. Sendo assim, por desconhecerem essas informações, saem da 1ª sessão decepcionados, frustrados, até mesmo desacreditando nessa terapia. Desconhecem também que o mentor espiritual costuma se manifestar normalmente na 3ª e última sessão (essa terapia é constituída de uma entrevista de avaliação e mais três sessões de regressão). A metodologia dos mentores espirituais consiste em mostrar primeiro, isto é, fazer o paciente vivenciar, experienciar, seja regredindo na causa de seus problemas, ou mesmo fazendo-o entrar em contato com o seu obsessor espiritual para saber o que fez ao seu desafeto espiritual e, assim, possa pedir perdão, ajudando-o a ir para a luz. Só depois dessa vivência, que o mentor espiritual vai conversar com o seu pupilo (paciente) para orientá-lo melhor acerca de seus problemas, bem como sua resolução. Portanto, é importante esclarecer ao leitor, que nem todos os pacientes vão passam por uma regressão de memória nessa terapia. Por isso, esclareci num artigo anterior Não é prejudicial descortinar o véu do esquecimento do passado? que existem seis possibilidades de algo ocorrer na TRE:










1º) Regressão de memória - o mentor espiritual autoriza que o paciente saiba algo de seu passado, fazendo-o revivenciar experiências de suas vidas passadas; 2) Regressão e Progressão - nesse grupo, o mentor espiritual não só lhe revela uma experiência passada, mas também revelações futuras, se assim julgar que isso é necessário; 3) Desobsessão espiritual - esse grupo vem única e exclusivamente a essa terapia para fazer um trabalho de desobsessão espiritual, ou seja, conversar com o seu obsessor espiritual para se reconciliar e ajudá-lo a ir para a luz; 4) Fortalecer a fé em si e no plano invisível - nesse grupo, o paciente vem apenas para conversar com o seu mentor espiritual, que pode ou não revelar algo de seu passado; 5) As quatro experiências acima mencionadas - ele passa por todas as experiências acima mencionadas; 6) O paciente não consegue absolutamente nada nessa terapia - os motivos são diversos, mas, o principal, é que ainda não está minimamente aberto, receptivo para entrar em contato com o seu mentor espiritual, por conta da falta de fé, incredulidade, ceticismo, orgulho, arrogância, desinformação, medo acerca da regressão de memória, reencarnação, existência dos espíritos, etc. Em suma, são necessários dois quesitos fundamentais para que o paciente esteja preparado para passar por essa terapia: a) Maturidade espiritual - fé, humildade e mínimo esclarecimento acerca da espiritualidade); b) Merecimento - se o mentor espiritual entender que o paciente tem merecimento, certamente irá receber os benefícios dessa terapia; caso contrário, não irá regredir e muito menos conversar com o seu mentor espiritual. O percentual desses pacientes que vêm ao meu consultório é de 10%. Leia o meu artigo Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece para maiores esclarecimentos do perfil desses pacientes. Caso Clínico: Baixa auto-estima e sentimentos de incapacidade e inferioridade Mulher de 30 anos, solteira. A paciente me procurou por conta de sua baixa auto-estima, sentimentos de desvalorização, incapacidade e inferioridade. Sentia-se também muito solitária, não se entregava nos relacionamentos afetivos, pois tinha medo dos homens, de ser maltratada, agredida. Por conta desse medo, queria saber se um dia iria se realizar afetivamente, encontrar um companheiro que viesse amá-la verdadeiramente. Após passar por duas sessões de regressão, na terceira e última sessão, ela me relatou:


 Vejo umas carroças sendo puxadas por cavalos... Agora, vejo um mercado aberto, pessoas passando... É uma vida passada, uma época bem antiga. - Veja como as pessoas estão vestidas - peço à paciente. Elas se vestem de maneira simples, são comerciantes, artesãos, também vejo homens com armaduras, cavalgando. É um reinado, onde há um castelo enorme. (pausa). - Vai prosseguindo nessa cena - Peço à paciente. Vejo agora um penhasco que se desmorona... Alguns cavaleiros caem desse penhasco...Volto à cena do mercado, subo uns degraus de pedras rústicas, e entro por uma porta...É uma taverna...Vejo homens bebendo. - Você consegue se ver nessa cena? - Pergunto à paciente. A impressão é que sou uma mulher (ela não estava se vendo, mas se via intuitivamente, ou seja, tinha a sensação de ser uma mulher), uso um vestido de camponesa... procuro alguém... Ele está atrás do balcão, é jovem, pele clara, cabelos castanhos. Esse homem me coloca para fora da taverna e, em seguida, fecha a porta. Eu desço a escada, tropeço e caio, estou chorando. (pausa). - Veja por que você está chorando - peço à paciente. “Vem à mente que o meu marido morreu esfaqueado... A impressão é que houve uma briga, e que ele morreu por minha causa. Eu me envolvi com outro homem porque ele não me dava atenção, sentia-me muito solitária... É a mesma solidão que sinto hoje. O meu marido foi tirar satisfação com o meu amante e ele o esfaqueou (paciente fala chorando). Tenho a impressão que o meu amante só gostava de mim sexualmente. Após a morte de meu marido, acabei ficando com ele. Mas ele era um homem ruim, agressivo, me maltratava muito, era machão, e eu era muito submissa. Acabei fugindo... Agora volto à cena da taverna. Após a fuga, fui pedir ajuda àquele jovem que estava atrás do balcão. Ele era o meu irmão mais novo nessa vida passada. Ele não quis me ajudar por conta do adultério que cometi, me chama de vagabunda. Estou chorando, caída no chão, após ter tropeçado nos degraus. Eu me sinto abandonada, inferior, sem valor (fala chorando). (pausa). A impressão que tenho é que vem dessa existência passada a minha baixa auto-estima, o desvalor, e os sentimentos de incapacidade e inferioridade.


 Como fui muito destratada, agredida pelo meu amante dessa vida passada, trago ainda na vida atual o temor de que os homens venham a me agredir, me destratar. Sofri muito nessa vida passada, ninguém queria me ajudar (paciente fala chorando copiosamente). É por isso também que hoje não peço ajuda, quero fazer tudo sozinha, não quero depender de ninguém. (pausa). Alguém está me dizendo - paciente intui - que preciso aprender a confiar, que tudo vai acontecer para o meu bem. (pausa). Sinto que é o meu mentor espiritual que está falando... Ele diz que os meus caminhos vão se abrir, mas que preciso ter certeza do que quero porque depois não dá para voltar atrás. Ele está se referindo à decisão que tomei nessa vida passada ficando com um homem agressivo e violento”. (pausa). - Veja o que mais lhe vem? - Peço à paciente. “Não vejo mais nada... Mas ainda sinto a presença de meu mentor espiritual, embora não o veja. (pausa). Eu lhe perguntei o que devo fazer? Ele me responde: - Siga o caminho da luz”. - Pede para o seu mentor espiritual lhe esclarecer melhor o que é o caminho da luz... “Ele diz que é o caminho do respeito, da felicidade, da família, do amor ao próximo, do trabalho, da solidariedade, do amor a Deus. (pausa). Eu lhe perguntei qual é o seu nome? - Milton, ele me responde. Diz que é um dos meus sete mentores espirituais. Pergunto o que preciso aprender nessa encarnação? Ele responde: - Seja mais tolerante, paciente, tenha fé em si, em Deus, e no amor, que brevemente o seu amor irá chegar. Ele é o homem que você sempre quis, mas precisa ter paciência. O seu amor irá lhe dar muito carinho e atenção. Você não sentirá mais solidão porque ele a amará muito (seu mentor espiritual estava lhe revelando acontecimentos futuros, portanto, uma progressão de memória). Precisa ter calma, pois tudo vai se resolver da forma como tem que ser (os mentores espirituais têm uma visão mais ampla da vida, do que não ocorre com os encarnados, pois estamos limitados ao corpo carnal e ao mundo terreno tridimensional). Estamos muito felizes por você, por estar aprendendo suas lições. Por ora, era isso que precisava saber nessa terapia e reitero que faça o que tem que fazer com mais calma, relaxe, entre em contato com a natureza. Isso irá ajudá-la a se reequilibrar. De agora em diante, sua vida irá melhorar porque está fazendo sua reforma íntima, limpando as mágoas, tristezas, através da oração do perdão que o Dr. lhe recomendou (ele estava se referindo à mim como terapeuta). Sua vida irá fluir com mais facilidade. Irá se reencontrar com o seu amor, pois ele tem um resgate cármico, uma dívida porque a abandonou numa vida pretérita. Por isso, ele vai cuidar de você. Toda vez que sentir medo de ser abandonada, ore ao Pai Maior que Ele vai acalmar o seu coração. Você é forte e independente. Mostre sua independência para o seu futuro companheiro porque assim ele vai respeitá-la e amá-la mais, pois ele irá se sentir ameaçado com sua independência. Ele precisa passar por essa experiência para valorizá-la mais, porque isso faz parte do aprendizado dele. Siga em paz, estarei sempre com você



Fonte:Osvaldo Shimoda > !” Você está preparado para passar por uma regressão de memória?

sábado, 6 de agosto de 2011

Aborto. A escolha é sua, e a do Bebê?

Uma mulher chega apavorada no consultório de seu ginecologista e diz: - Doutor, o senhor terá que me ajudar num problema muito sério. Este meu bebê ainda não completou um ano e já estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro… O médico então perguntou: - Muito bem.. O que a senhora quer que eu faça?
A mulher respondeu: - Desejo interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda. O médico então pensou um pouco e depois de algum tempo em silêncio disse para a mulher: - Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora. A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido. Ele então completou: -Veja bem minha senhora, para não ter que ficar com dois bebês de uma vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, a senhora poderá descansar para ter o outro, terá um período de descanso até o outro nascer. Se vamos matar, não há diferença entre um e outro. A té porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco… A mulher apavorou-se e disse: - Não doutor! Que horror! Matar uma criança é crime.
- Também acho minha senhora, mas me pareceu tão convencida disso, que por um momento pensei em ajudá-la. O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há a menor diferença entre matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer, mas já viva no ventre materno.



O CRIME é exatamente o mesmo!!!


http://vthumb.ak.fbcdn.net/hvthumb-ak-snc4/50996_189597161057340_189587944391595_45031_1882_t.jpg